Casa do Ribeirão é reaberta e grupo SOS Ribeirão Sobradinho retorna às atividades com apoio de João Cardoso

postado em: Brasília | 0

Para tentar reverter a situação de abandono e poluição causada por ocupações irregulares e descumprimento de normas ambientais que interferem no Ribeirão Sobradinho, o deputado distrital João Cardoso (Avante) acaba de viabilizar o retorno do grupo SOS Ribeirão Sobradinho para o Centro de Atividades Socioambientais (Casa do Ribeirão).

A reabertura foi nessa sexta (29/11), após gestões do deputado junto à Administração Regional de Sobradinho, que com seu antigo viveiro foi sede da associação ambiental entre 2012 e 2014 na realização de pesquisas e projetos de recuperação e conservação do ecossistema.

Para João Cardoso, que é auditor fiscal de Atividades Urbanas, especialização em Controle Ambiental, e professor de Geografia da Secretaria de Educação do governo do Distrito Federal, esta é uma importante conquista para a cidade, já que o Ribeirão Sobradinho corre o risco de desaparecer.

“O rio está totalmente assoreado e já mudou de curso várias vezes. Mas isso é consequência do adensamento populacional.”, lamentou.

“Tenho 28 anos de trabalho voltado para o meio ambiente, além disso sou formado em Geografia, então, de meio ambiente eu entendo um pouco. Vocês podem ter certeza que terão todo o nosso apoio porque eu também preciso manter a qualidade de vida da minha vida família (que mora em Sobradinho). Me coloco a disposição em relação a assuntos sobre o meio ambiente e tudo o que precisarem.”.

SOS Ribeirão

Liderado pelo mestre em Planejamento e Gestão Ambiental, Raimundo Pereira, o SOS Ribeirão Sobradinho volta com força total para intensificar seus trabalhos de conscientização e despoluição por meio de projetos de educação ambiental e produção de hortaliças, mudas para reflorestamento de áreas degradadas, plantas medicinais e ornamentais. Referência na luta pela causa ambiental, a associação desenvolve desde 2010 campanhas de revitalização do Ribeirão em parceria e cooperação técnica com a sociedade civil e os poderes Legislativo e Executivo.

“Estou bastante tocado com isso daqui porque isso tem um significado muito grande para mim e para o grupo de colaboradores do SOS Ribeirão”, comemora Raimundo.

Maior rio urbano do Distrito Federal, o Ribeirão Sobradinho corre o risco de extinção, já que a área de 28km de extensão que contorna a cidade de Sobradinho, juntamente com seus afluentes que integram no DF a bacia hidrográfica do Rio São Bartolomeu, que faz parte da região hidrográfica Paraná, atualmente encontra-se tomada por esgoto e mal cheiro.

Além de imprópria para consumo, a água do Ribeirão também não serve para a prática de esportes e lazer como era há cerca de 20 anos. O impacto ambiental é agravado pelo risco de crise hídrica na região, tendo em vista o crescimento populacional e a criação da cidade Urbitá, que deverá atrair mais 120 mil moradores, somando os cerca de 145 mil moradores de Sobradinho e Sobradinho 2, segundo dados da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) de 2018.